Vá com calma, não carregue o mundo nos seus ombros.
The Beatles. (via effingos)
O amor em tempos de facebook

Você olha para o lado e no muro mais uma frase romântica pichada. Sorri feliz e até tira uma foto, o amor está lá, pintado no muro e emocionando quem passar por ali e ler. O amor está escrito no papel da bala, com frases curtas e incríveis e parece o suficiente. No adesivo do carro com corações vermelhos. E agora, ele também está lá, publicado no seu mural todos os dias. O amor está sendo divulgado em frases mal elaboradas à espera de mais uma opção curtir, de mais um seguidor. Em tempos onde todos viraram poetas e discípulos do romantismo, o amor se perdeu de vez num emaranhado de palavras que, juntas dizem menos do que separadas. E ‘eu te amo’ é frase que se compra e se vende mais barato do que pastel de feira. Antes o amor era cafona, agora o amor é plágio. Vem cá, onde foi parar o amor mesmo? Do luxo ao lixo. Saiu dos corações, dos beijos molhados, das surpresas e das mãos dadas para virar politicagem barata em redes sociais. O amor está em promoção! Curta um e leve dois. A nova aliança é ‘me segue que eu te sigo’ de volta. O romance escorre nas palavras enquanto o computador está ligado, depois são lágrimas que escorrem no travesseiro sem ninguém perceber. E no dia seguinte, uma frase de Vinícius de Moraes publicada só para dizer ao mundo que você ama e é feliz. Quando na realidade não sente um beijo de verdade faz um bom tempo. Tão acostumados a escrever, nós deixamos de dizer. E quanto menos se diz sobre o amor, menos se sabe sobre ele, menos se vive e muito menos se sente ou faz com que o outro sinta. Amar não é só escrever que ama. E se quiser digitar uma poesia, faça isso com seus dedos em minhas costas, por favor! Pior do que se ajoelhar virtualmente e declarar o amor para milhares de amigos que você sequer cruzou nos corredores do colegial ler, é aceitar aquelas declarações emolduradas por uma tela de computador, com palavras previamente ensaiadas, com pedaços de músicas se encaixando perfeitamente, vírgulas nos lugares exatos, reticências poéticas e uma concordância escandalosamente perfeita num exagero beirando o precipício. O amor escrito minuciosamente. Ali, perfeito e entregue de bandeja. E você aceita essa bandeja sem questionar e sem lamentar que não pode segurar ela com as mãos. Pior é acreditar em parágrafos que circulam em Ctrl C + Ctrl V e se sentir especial. Se o amor fosse uma pessoa, com toda certeza iria encher a nossa cara de porradas e cobrar ‘que porra é essa que vocês estão fazendo comigo?’. O amor virando palhaço de circo e a gente aplaudindo. O amor na vitrine e a gente se contentando em só olhar. O amor que antes era uma linda e natural flor, com cheiro e textura, agora virando flor animada em GIF, coberta de glitter. Me diz, cadê o toque? Onde estão os ‘eu te amo’ sussurrados ao pé do ouvido? As declarações mal feitas, acompanhadas de olhares apaixonados com medo de falhar? Onde estão os arrepios e o perfume? Estão todos engavetados e esquecidos e a culpa é toda nossa, simplesmente porque nós não cobramos o amor na carne. Não exigimos o amor ao vivo, no último volume. Temos medo de encarar o real tamanho do sentimento, e então usamos escudos disfarçados de telas frias e filtros do Instagram. Se for por culpa da distância, tudo bem e a gente aceita declarações que ajudem a manter a lembrança de que o outro existe e ama. Mas faça isso com competência. Muitos querem uma grande estória de amor, mas poucos são competentes para isso. Se for virtual, prefira então as promessas. E principalmente, aquelas que se cumpram depois lá fora, no mundo real, onde a gente se olha nos olhos enquanto faz amor. Onde compartilhamos a saliva e o suor – e não apenas frases. O amor não pode ser descartável. O amor não pode ser assim, fácil de deletar. Bastando um backspace e o amor acaba. Bastando um ‘desfazer amizade’ e o amor some. Bastando uma tinta no muro e o romantismo sendo abduzido sem que ninguém note. Não! Queira do amor tudo o que ele pode oferecer. A voz, a pele, o gosto, o olhar e a dor. Viva e morra por amores profundos e reais. Sofrer por publicações é humilhante. Morrer de amor apenas por frases é decadente. Faça-me versos sim, me cante com poesias de Leminski e Drummond de Andrade. Eu não quero que as palavras morram. Mas, ao final delas, não me mande ‘beijos’ virtuais, desligue isso aí e venha até aqui me beijar.

Fonte: Benfazeja Revista Literária

"É muito difícil medir o tamanho do nosso pulo antes de encontrar a poça d’água. E a gente, não importa o tamanho da galocha, acaba sempre fugindo desses obstáculos, por medo de quê? De molhar a barra da calça?

Os sonhos são objetivos que a gente re-batiza desse jeito apenas para que pareçam inatingíveis. E o nosso salto pode ser do tamanho que a gente conseguir imaginar. Basta que a gente perca o medo de molhar os pés.”

 

Só para você saber

Te acomodar pra domir, acarinhando seus pés

Te dar o que você precisa

Só para você saber

Pronto agora para começar a beijar cada parte de você

Só para você saber

Eu estou dando algo verdadeiro

Dando algo verdadeiro, espera

Você me ensinou a ver o melhor em mim, quem eu pretendo ser

Só para você saber

Tão perfeita como você é, eu nunca estarei muito longe de você

Só para você saber

Eu estou dando algo verdadeiro

Eu estou dando algo verdadeiro

Eu estou dando algo

Familiar como a palma da minha mão

Você tem tudo isso

Eu conheço você, como a palma da minha mão

Eu sou tudo sobre você

Familiar como a palma da minha mão

Você tem tudo isso

Eu conheço você, como a palma da minha mão

Eu sou tudo sobre você

Eu estou dando algo verdadeiro

Dando algo verdadeiro

Dando alguma coisa, espere

Sejamos adultos e vamos encarar os fatos: garotas sempre querem compromisso. Todas, pergunte aos hormônios. Algumas apenas não sabem disso ainda. Outras, pode ser que não hoje, esta tarde, mas num futuro concreto, sim, querem compromisso. Mesmo as que não admitem, querem compromisso. Pode ser que a intenção não se manifeste ao seu lado, mas certamente há um outro carinha na parada as deixando sonhadoras. Tudo bem, pouquíssimas não querem compromisso, no entanto topam numa boa serem desafiadas. Garotas não sabem ser solteiras aos domingos, e há domingos praticamente toda semana, coisa que as empurra para um relacionamento sério e duradouro.
Gabito Nunes.  (via peculiador)
Saudade

Nem sempre saudade sufoca. Às vezes ela te arranca sorrisos. Saudade é a certeza de algo/alguém que foi ou é importante na sua vida, e devido a importância a gente não esquece, a gente faz questão de lembrar. E lembranças não devem ser encaradas como sofrimento, por mais doloroso que seja o ato de recordar, por mais insistente que seja a sensação do passado não mais fazer parte do presente. Não se torture. Saudade é sentimento, é sentir de novo. Porque o passar do tempo é isso, encontros, desencontros, idas, vindas, sonhos que são apenas sonhos, algo que nem em sonho você imaginava mas que acabou acontecendo, momentos tão especiais e que, por serem tão especiais não conseguem passar de um momento, porque se passasse perderia a essência. Saudade também é um momento, um momento pra lembrar de outros. Será sempre assim, viver é acumular momentos pra sentir saudades depois. Saudade é uma forma de revivê-los. Sinta saudade com um sorriso no rosto, e não com aperto no coração. Lembrar é (re)amar. Cacá Carvalho

Se você quiser saber quem realmente são os seus amigos, obtenha para você mesmo uma sentença de prisão
Charles Bukowski.  (via memoriatos)

Vou guardar teu coração no meu para que nos dias em que não estivermos juntos o sentimento da saudade seja menor.

Vou guardar teu coração no meu para que os dois formem, de fato, a figura que o simboliza.

Vou guardar teu coração no meu porque o amor também precisa de um lar.

Vou guardar teu coração no meu para que ambos não parem de bater.

Vou guardar teu coração no meu…

…e tua pele na minha alma.image

por Cacá Carvalho

❝ contra a luz
não há argumentos 
— dói os olhos.

"Não sei se a vida é curta ou longa para nós, mas sei que nada do que vivemos tem sentido, se não tocarmos o coração das pessoas.
Muitas vezes basta ser: colo que acolhe, braço que envolve, palavra que conforta, silencio que respeita, alegria que contagia, lágrima que corre, olhar que acaricia, desejo que sacia, amor que promove.
E isso não é coisa de outro mundo, é o que dá sentido à vida. É o que faz com que ela não seja nem curta, nem longa demais, mas que seja intensa, verdadeira, pura enquanto durar. Feliz aquele que transfere o que sabe e aprende o que ensina”

"A fidelidade
não é um compromisso com um outro,
mas sim, com o nosso sentimento.

Se você não for fiel ao que sente,
do que importa o resto?”

..:Sincronicidade:..

Fenômeno psicológico. Consciência do acaso no momento exato. Ocorrência simultânea de pensamentos. Princípio de conexões. Causa e efeito. Uma coincidência combinada. Sintonia entre pensar e sentir. Ou como diria Jung ‘é uma coincidência significativa’, ou seja, “insight”.

image

Cacá Carvalho.